sexta-feira, 18 de abril de 2008

Sua Alteza Real, A Princesa

Partilhar
"9:00 da manhã no reino de Fernanda. Os passarinhos cantam, os raios de sol brilham nas planícies e realçam a beleza dos coloridos campos de flores. A bela princesa se levanta, se olha no espelho, que sorri para ela, e se sente plenamente satisfeita com o que ele reflete(isso acontece desde que ela fez as pazes com suas imperfeições).
Ela veste seu mais lindo vestido e desce as escadas de seu castelo para tomar café da manhã. Fernanda faz seu desjejum com tudo o que mais gosta de comer, sem se preocupar com calorias ou gordura trans. Ela resolve tomar um ar no seu quintal, com um mundo de hectares, e encontra seu belo príncipe, montado num cavalo branco, a esperando para um passeio ao redor do lago. A afnidade entre a alma dos dois pode ser vista por qualquer um que reparar no brilho de seus olhos. Eles param para alimentar os patos do lago, tratando com igualdade os patinhos feios e os cisnes. De volta ao castelo, eles se despedem, para que cada um cuide de suas atividades; a individualidade deles é intocável. O beijo de despedida é longo, apaixonado e doce, quase faz com que a bela princesa quase adormeça novamente.
Mas já são duas horas da tarde, Fernanda não tinha se dado conta do passar do tempo, pois o relógio biológico é o que impera dentro dela. O almoço é servido, sua avó fez a comidinha que ela mais gosta: arroz, feijão, bife, salada e batatas fritas. Ela se senta à mesa com sua família, que apesar de não dividir mais a casa com ela, são seu passado, presente e futuro.
Após o almoço, ela se reúne com suas melhores amigas para tomar o milk-shake da tarde e conversar sobre moda, beleza homens, politica e cultura. Sim, são todas princesas, mas essa realeza não é burra, nem ociosa. Quando vai chegando o fim da tarde, cada uma vai para seu castelo, se arrumar para a grande festa da noite, no castelo de Fernanda.
Depois que as amigas vão embora, ela vai até sua varanda e fica, por muito tempo, observando o pôr-do-sol e pensando. Pensa e escreve, dois dos seus maiores hobbies. Só pára quando o sol a lembra que só volta no dia seguinte, e que é hora de preparar a festa.
Ela vai para a cozinha, ajuda as cozinheiras com os quitutes e faz o brigadeiro, com recheio de amor e cobertura de carinho. Depois, ela sobe para seus aposentos, toma um banho que não é revigorante nem relaxante, porque ela não se sente nem cansada, nem sem vida. O banho é apenas gostoso, e isso é suficiente. A princesa abre o armário e pela primeira vez, não tem dúvidas: é aquele, somente aquele, o vestido que ela deve usar naquela noite. Não era cheio de pedrarias, nem cheio de peles de animais, aliás, nem a etiqueta era lá essas coisas. Mas, incrivelmente, ela se sentia bem demais vestida com ele para trocá-lo por qualquer outra roupa. O cabelo e a maquiagem também não demoram, ela logo ela está pronta para receber seus amigos. Pórém, a primeira coisa que recebe, é um elogio de seu príncipe; e mesmo se seu dia tivesse sido péssimo, depois disso, já teria valido.
Seus amigos e família chegam, suas músicas preferidas tocam, ela sente que não há exemplo de felicidade maior do que aquele que ela vive, por isso decide fazer um discurso.

Ela diz que aquele dia tinha sido um sonho, do qual ela sabia que teria que acordar. Mas que antes que isso acontecesse, ela gostaria sempre de lembrar que todos podemos adaptar nossos sonhos, nossos valores e nossa essência à nossa realidade. Que todo dia deve ser aproveitado, mesmo os maus dias, devem ser aproveitados para que aprendamos lições. Que a felicidade não é ser uma pessoa perfeita, ou ter realizações em todos os setores da vida, mas sim, ter a força de conseguir fazer com que as coisas boas, mesmo que mínimas, superem as coisas ruins. E que ter conquistado os corações das pessoas que ama foi o melhor negócio que ela fez na vida. Aquela festa celebrava os sentimentos, a arte de viver."

*____________________________________________________________*

E depois disso, a princesa realmente acordou. Mas hoje, faz questão de repartir e repetir seu sonho com todos, sempre. Porque o Era Uma Vez e o Felizes Para Sempre não existem na vida dela. Mas nem por isso ela deixa de ser uma princesa. A única difernça, é que sua nobreza não se encontra nos pronomes de tratamento, mas sim, em seu coração.
Partilhar

4 comentários:

Nataliinha disse...

EU QUERO SER UMA PRINCESA !
Mas eu acho que não dá!
O lance é adaptar a SUA vida com o melhor q ela te oferece !!

Bj bj =)

Despindo estórias disse...

Ei vc escreve muitoooo
passa lah no meu!
vou te favoritar, ok?
=***

Amanda disse...

Que texto lindo!! Nossa, fiquei encantada *---*
Adicionei nos links pra não perder teu blog de vista ;*

A n i n h a a disse...

aah que gracinha

é tão bom sonhar com coisas que nos fazem bem :D
adoreii o blog
vc escreve muito bem

vou te linkar tbm
:*